top of page

RECREAÇÃO EM ÔNIBUS

Atualizado: 6 de nov. de 2022



Autoria de Lucas Matozo e Gabriella Ferreira Albuquerque (Disciplina de Estágio em Lazer)


ATIVIDADES E BRINCADEIRAS RECREATIVAS PARA EXCURSÕES DE ÔNIBUS

Resumo: Este ensaio tem como objetivo apresentar possíveis atividades e brincadeiras de recreação para se realizar em excursões escolares, religiosas e de turismo, realizadas por meio do transporte terrestre em ônibus. O intuito é apresentar um recorte de acordo com os objetivos da viagem, público-alvo e instrumentos necessários para a realização das atividades, de forma que sejam desenvolvidas de forma adequada e que possam criar experiências positivas para os/as passageiros/as.


Palavras-chave: Recreação em Ônibus, Entretenimento, Lazer.



INTRODUÇÃO


Quando pensamos em recreação para excursões de ônibus, talvez uma primeira associação que fazemos é quando comparamos com o filme “Falando Grego” (2008), no qual a protagonista Georgia (Nia Vardalos) atua como Guia Turística e cita sobre os acontecimentos históricos na Antiga Grécia durante a excursão. Porém era perceptível as expressões de tédio e insatisfação dos/as próprios/as turistas que não tinham escolha naquele momento, e a Guia precisou se reinventar com o grupo para manter o passeio prazeroso a todos, e esse é um ponto muito importante na atuação com recreação.

Quando associamos isso com a experiência dos/as passageiros/as, é importante que a qualidade da viagem seja imersiva e se correlacione com o humor de quem comprou essa excursão (GOMES, 2020), de modo que sua percepção da viagem seja satisfatória ou que supere suas expectativas. Segundo Araújo, Silva e Isayama (2008), apesar de turismo e lazer não serem necessariamente conjuntos, eles se comunicam e dependem um do outro nas diferentes motivações associadas à dinâmica turística no mercado. Nesse sentido, uma excursão de qualidade deve ser pensada e planejada de forma que, não somente o/a Guia ou Recreador/a, mas o serviço prestado pela empresa tenha retorno.

Portanto, com base na prestação de serviços do/a Guia Turístico/a e Recreador/a e nas diferentes possibilidades de excursões dentro do âmbito escolar, turístico ou religioso, este ensaio tem como objetivo apresentar possíveis atividades e brincadeiras de recreação para se realizar em excursões, realizadas por meio do transporte terrestre em ônibus, apresentando um recorte de acordo com os objetivos da viagem, público-alvo e instrumentos necessários.


JOGOS E ATIVIDADES DE EXCURSÃO


Os jogos apresentados abaixo foram retirados e adaptados a partir dos autores Carvalho (2016) e Miranda (2014), considerando também algumas atividades vivenciadas pelos/as autores/as deste ensaio. Antes de abrirmos para as possíveis adaptações recreativas, um ponto importante para ministrar os jogos e brincadeiras presentes neste artigo é sobre você conhecer e entender seu público-alvo, pois nem todas as atividades podem funcionar em um contexto específico, ou com uma faixa etária exclusiva, portanto se faz necessário o/a profissional de Educação Física ou de Turismo planejarem suas atividades de modo que produza entusiasmo e diversão aos/às passageiros/as.




COLETÂNEA DE JOGOS E BRINCADEIRAS

1_Quebra Gelo:

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre:

Objetivo: promover interação e amistosidade entre os participantes;


Para realizar essa atividade, o/a recreador/a deverá organizar uma sequência lógica para participação de cada passageiro/a, solicitando que cada um se apresente anunciando o nome, naturalidade, os hobbies e o que espera do passeio ou viagem. É importante, ainda, que seja monitorado o andamento das apresentações, e, se possível, interfira ressaltando respostas inusitadas e identificando a recorrência de respostas parecidas com relação aos hobbies e/ou expectativas da atividade turística. É importante que essa atividade seja feita com um público que nunca tiveram contato antes, ou pelo menos tenha sido um contato baixo, para dar sentido à dinâmica da atividade.


2_Bingo Interativo:

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: cartelas alfanuméricas, globo giratório, bolas numeradas (01-75);

Público-alvo: adultos, terceira idade;

Objetivo: promover entretenimento e lazer entre os participantes;


Para fazer um bingo, o/a recreador/a deverá distribuir uma cartela para cada participante, e estabelecer as regras da atividade, ou seja, o critério para ganhar o prêmio, assim como apresentar os critérios para desempates e premiação. Por fim, deverá iniciar a atividade sorteando as pedras e divulgando a combinação alfanumérica de cada uma delas, até um/a ganhador/a se anunciar.


3_Amigo Secreto:

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: papéis recortados, caneta;

Público-alvo: adultos, terceira idade;

Objetivo: promover interação e amistosidade entre os participantes;


Essa atividade consiste na distribuição de lembranças entre todos os participantes. Para organizar e realizar um amigo secreto, o/a recreador/a deverá providenciar pedaços de papel do mesmo tamanho, contendo em cada um deles o nome de diferentes participantes e, depois, dobrá-los igualmente. Na primeira etapa, o/a recreador/a deverá: apresentar a brincadeira, e, preferencialmente, determinar um valor mínimo para a aquisição das lembranças, embaralhar os papéis (já dobrados uniformemente) com o nome dos/as participantes, e solicitar que cada participante retire um e o abra para conhecer quem é o “amigo secreto” que deverá ser mantido em total sigilo. Na segunda etapa, que acontecerá em um momento vindouro, – tempo suficiente para os/as participantes adquirirem as lembranças do “amigo secreto” –, o/a recreador/a deverá: reunir os/as passageiros/as, e solicitar que um/a deles/as inicie a brincadeira, revelando o “amigo secreto” (através das principais características desse). Esclarece-se que, ao passo que cada componente for revelado, deverá receber a lembrança e dar sequência à brincadeira, com os mesmos procedimentos até que o último seja revelado.


4_Gincana Surpresa:

Excursão: escolar, religiosa, turística;

Materiais: papéis com perguntas, papel com marcação de pontuação;

Público-alvo: livre;

Objetivo: promover aprendizagem e resgate pedagógico;


Para realizá-la, o/a recreador/a deverá: inicialmente, dividir os/as passageiros/as em duas equipes (dentro de um ônibus, por natureza da configuração das poltronas, as equipes já estarão montadas em cada lado dos jogos de poltronas); em seguida, eleger um/a líder para cada equipe e solicitar que esse/a a nomeie. Após isso, deverá apresentar a brincadeira em forma de uma gincana, na qual cada equipe terá que responder as perguntas feitas pelo/a recreador/a. Assim sendo, ganhará a competição recreativa a equipe que apresentar a maior pontuação com base nas respostas certas. O tema definido na gincana depende do objetivo pedagógico relacionado à excursão, sendo esta escolar, religiosa ou turística.


5_Encontre a Música:

Excursão: escolar, religiosa, turística;

Materiais: papel com palavras; papel com marcação de pontuação;

Público-alvo: livre;

Objetivo: promover entretenimento e lazer entre os participantes;


Essa atividade possui a mesma dinâmica de uma gincana musical, porém o/a recreador/a pode escolher entre dividir os/as participantes em grupos ou disputas individuais. Para organizá-la e desenvolvê-la, o/a recreador/a deverá escolher, em média, 15 palavras que possam ser encontradas em letras de músicas, podendo variar o nível de dificuldade de acordo com o público trabalhado. Com base nisso, o/a recreador/a anuncia a palavra e dará 15 segundos, ou mais, para os/as passageiros/as encontrarem uma música que tenha essa palavra em sua letra e cantar a estrofe que a contenha. Assim sendo, ganhará a competição musical a equipe, ou o/a participante, que apresentar maior pontuação com base na quantidade de respostas acertadas.


6. Pinóquio

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: Troféu (alimento ou objeto exótico);

Público-alvo: livre;

Objetivo: Despertar a criatividade e promover o lazer entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a iniciará o torneio da mentira com voluntários/as para competir, sorteando a ordem de começar. Cada integrante terá de 3 a 5 minutos para contar uma mentira memorável (convincente ou absurda). Após a participação do/a último/a mentiroso/a, será entregue ao/à ganhador/a a premiação com o troféu.


7. Eleições da Cidade Estranha

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: lápis e papel;

Público-alvo: adultos, terceira idade;

Objetivo: Despertar a criatividade e promover o lazer entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a deve comentar com o grupo que é chegada a época das eleições em uma cidade imaginária e ali, em frente, está a sua participativa população. O pleito a desenvolver-se em breve será para o ilustre cargo de prefeito da cidade estranha. Por que estranha? Logo saberão. Diga-lhes que você foi nomeado pelo governador para organizar as eleições daquela localidade e que, precisa inscrever os/as candidatos/as ao cargo. Munido de lápis e papel, anote o nome dos concorrentes.


Por imposição legal, deverá haver número par de candidatos. Convoque dois deles para se destacarem do grupo enquanto os demais farão parte da massa que logo estará exercendo sua cidadania. Oriente os dois candidatos para as regras finais: tirar no par ou ímpar quem começa o embate político, com 3 minutos de palavra cada um. Dado início, terá que discursar a favor do adversário. O discurso deverá ser feito com os maiores elogios ao concorrente e das maiores críticas a si mesmo, como possível prefeito da cidade. A população levantará as mãos para o/a vencedor/a daquela eleição, ou seja, o/a que melhor defendeu as qualidades do adversário em prejuízo das suas.

8. O Dinheiro Mágico

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: cédula ou moeda antiga;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Despertar a criatividade e promover o lazer entre os participantes;


O/a recreador/a deve, inicialmente, dar um número a cada participante, pois este número será sorteado posteriormente. Conte-lhes que um mago, há muito tempo, presenteou você com uma cédula/moeda invulgar. Diga-lhes que o dinheiro tem o poder de comprar qualquer bem e realizar todos os desejos. A partir disso, sorteie um número e dê a cédula ao/à correspondente. Para ficar com o dinheiro definitivo, o/a jogador/a terá que passar por uma prova, pensando em qual aquisição ele pretende. Seus colegas devem perguntar diretamente ao/à escolhido/a sobre a aquisição pretendida. Seu segredo não pode ser revelado, pois se não, perde o poder mágico. As únicas respostas possíveis são “não”, “sim”, “preto”, “branco”. Caso o jogador ceda, deve transferir a cédula/moeda para outro/a jogador/a.


9. Vejo Algo Assim

Excursão: religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover familiaridade com o ambiente e o lazer entre os participantes;


O/a recreador/a deve solicitar a presença de um/a voluntário/a, que dará início ao jogo, orientar a percorrer o olhar por todo o ambiente e localizar um objeto qualquer que será descrito gradualmente ao grupo. Sugira-lhe que parta dos detalhes até chegar às características mais evidentes. Feito isso, deverá iniciar dizendo a frase “vejo algo…” adicionando uma característica (Por exemplo: “Vejo algo de linhas retas”). Qualquer participante poderá realizar uma tentativa de acerto por vez, levando a mão para solicitar a palavra. Esgotadas as tentativas dessa rodada, o/a jogador/a repetirá a frase e trocará a característica outrora pronunciada por outra, com o jogo prosseguindo nessa dinâmica. O primeiro a descobrir a qual objeto se refere o/a jogador/a tomará seu lugar e reiniciará o jogo.


10. Cores e Formas

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover familiaridade com o ambiente e o lazer entre os participantes;


O/a recreador/a deve falar uma cor (por exemplo: VERDE), solicitando ao grupo, para uma pessoa aleatória ou em ordem sequencial, que cite um objeto qualquer visível no ambiente que tenha essa cor. Conforme a habilidade do grupo, estabeleça um tempo-limite entre 10 e 20 segundos (Um jogador poderá dizer: VERDE é a blusa de fulano; Outro dirá: VERDE é a meia de beltrano). Caso não consigam satisfazer ao pedido do/a recreador/a dentro do tempo determinado, ou os que nomearam um objeto que já tenha sido mencionado, pagarão prendas. O jogo terminará antes que decline o interesse do grupo. Dependendo do nível dos participantes, você poderá solicitar que digam FORMAS em vez de cores (objetos cilíndricos, esféricos, quadrados, etc.).


11. Argolas

Excursão: escolar e turística;

Materiais: lápis e argolas;

Público-alvo: jovens, adultos, terceira idade;

Objetivo: Promover competição e lazer entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a deve organizar o grupo em duas equipes iguais nas poltronas. Todos os/as participantes terão um lápis preso entre os dentes. No início da fila de cada grupo, será dado uma argola para o/a primeiro/a jogador/a de cada grupo, pedindo a eles que a pendurem em seu lápis. Ao sinal, os participantes com a argola no lápis tentarão passar a argola para o lápis do colega ao lado e os colegas atrás, com as mãos permanentemente nas costas como forma de não ter trapaças no jogo. A equipe que primeiro terminar será declarada vencedora.


12. Morto Vivo

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover a atividade física e o lazer entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a deve começar com o grupo em pé. Os comandos são simples: VIVO (posição em pé), MORTO (posição sentado), com a regra de que, caso a pessoa que fizer o movimento errado após o comando, esta será eliminada da disputa. O jogo finaliza quando sobrar apenas uma pessoa acompanhando corretamente os comandos.


13. O Biscoito

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: biscoitos;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover a atividade física e o lazer entre os participantes;


Para realizá-la, você conhece o emblemático ditado popular que diz que é impossível assobiar e chupar cana? Então! Organize dois grupos iguais no ônibus com os participantes sentados, frente a frente com seus colegas do lado. Cada um recebe um biscoito e, ao sinal dado, os/as jogadores/as deverão começar a mastigar os biscoitos e assobiarão ao vizinho assim que possível para que também comece a comer o seu. Vence a equipe que finalizar primeiro, com todos os integrantes que comeram o biscoito com o braço erguido.


14. A Mímica

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover o lúdico e a criatividade entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a deve solicitar a presença de um/a voluntário/a e pedir que elabore mentalmente uma história que seja contada, em forma de mímica, para outro colega. Assim feito, deve-se solicitar quatro voluntários/as, que se “retirarão” do ambiente por alguns instantes (isso pode ser feito por meio do afastamento deles para o fundo do ônibus). O/a recreador/a deve chamar o/a primeiro/a voluntário/a para acompanhar o mímico. O/a jogador/a que elaborou a história vai contá-la, sempre em forma de mímica, a esse colega. Chamando o/a segundo/a voluntário/a, ele “ouvirá” a mesma história, porém pela compreensão do último colega que ouviu o/a jogador/a, procurando reproduzir exatamente o que viu e entendeu. Quando a mímica passar pelas quatro pessoas voluntárias como um telefone sem fio, o/a recreador/a deve pedir ao/à jogador/a que criou a mímica revelar o que tentou comunicar, pedindo também que todos os quatro “mímicos” que participaram, dizerem o que pretendiam mostrar.


15. A barra de frutas

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover o lazer entre os participantes;


Coloque o grupo à vontade e atribua números a cada jogador/a, em ordem sequencial. Informe-lhes qual é o maior número existente e, quando todos/as escolherem, convide um/a participante para dar início ao jogo. Da posição em que se encontra, ele/a deverá levantar-se e dizer, em voz alta: “Tenho oito frutas na minha barraca!” - no caso, é claro, de ele/a ter escolhido o número oito. Imediatamente o número oito se levantará e dirá: “Oito não! Na sua barraca tem (escolhe outro número, digamos “20”) vinte frutas”. O/a jogador/a de número 20 prosseguirá o jogo, que será interrompido quando um dos números for citado em repetição ou quando alguém chamar um número que não esteja naquele conjunto. Quem errar ou se demorar na resposta será penalizado com uma prenda. Estimule a rapidez nas respostas e aproveitem a recreação.

16. Ligando os pontos

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Promover o lazer entre os participantes;


Com o grupo em círculo ou filas, entregue a um/a dos/as jogadores/as uma folha de papel, preparada com pontos dispostos em distâncias regulares um do outro, que será a cartela do jogo, conforme sugestão a seguir. Com o lápis, esse/a jogador/a deverá fazer a união entre dois pontos e passar o material ao/à colega vizinho/a, que prosseguirá a dinâmica. A folha sempre reiniciará seu percurso, seja pelo círculo ou filas. O/a participante que conseguir, na sua vez, fechar um ou mais quadrados deverá escrever dentro deles a primeira letra do seu nome e novamente passará o material adiante. Quando a folha tiver todos os seus pontos transformados em quadrados, faça a tabulação tendo por base as letras contidas em seus interiores. Declare o/a vencedor/a e repita o jogo, pois renderá muita animação.


17_História Continuada:

Excursão: escolar e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: jovens, adultos;

Objetivo: estimular a criatividade e promover o lazer entre os participantes;

Para fazer o jogo, o/a recreador/a deverá criar uma frase incompleta, ou que tenha possibilidade de continuação. A partir disso, ele/ela irá selecionar os/as participantes que devem prosseguir na história por ordem numérica das poltronas até chegar no/na último/a passageiro/a, que precisa fazer o fechamento da narrativa e manter a história conectada. Cada participante só poderá criar uma frase para a progressão da história, para a história não ser longa e que todos/as possam participar igualmente. A atividade consiste em estimular a criatividade e buscar soluções dentro da narrativa.


18_A Última Sílaba Será a Primeira:

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: nenhum;

Público-alvo: livre;

Objetivo: estimular a criatividade e promover o lazer entre os participantes;


Para fazer o jogo, o/a recreador/a deverá pedir para que um/a voluntário/a diga uma palavra. O colega mais próximo imediatamente deverá dizer outra que principie com a última sílaba que foi pronunciada, seguindo até alcançar a última pessoa do grupo e reiniciando a brincadeira. Algo diferente que pode ser feito é na seleção aleatória de quem continua, sendo o/a recreador/a responsável por dar essa dinâmica de sequência.


19_O Pacote:

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: música e pacote pré-embrulhado;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Despertar a curiosidade e promover o lazer entre os participantes;


Para fazer o jogo, o/a recreador/a deverá organizar a circulação do pacote, envolto com muita fita adesiva, cordões, papéis e laços, que deve ser passada de mãos em mãos ao ritmo da música. Sempre que a música parar, o pacote deverá recomeçar a movimentar-se na sequência. Os/as participantes não poderão rasgar o papel do embrulho; o pacote deverá ser desembrulhado cuidadosamente. Aquele/a que finalmente descobrir seu conteúdo será declarado vencedor/a. Seria muito importante a atividade ser recompensada colocando algum agrado no pacote, seja voltado apenas individualmente ou compartilhado socialmente com os colegas, adaptando a quantidade de agrados de acordo com o contexto.


20_Expedição:

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: cartões coloridos;

Público-alvo: livre;

Objetivo: Despertar a curiosidade e promover o lazer entre os participantes;


Para realizá-la, o/a recreador/a deverá preparar diversos cartões coloridos. Cada cor corresponderá a um valor em pontos, estabelecido em um painel. Antes que o grupo chegue ao ambiente, esconda os cartões nos mais diversos lugares daquele espaço e imediações. Com o grupo presente, e já explicadas as regras do jogo, o/a recreador/a deve dar o sinal para que os/as participantes partam em expedição grupal ou individual em busca dos cartões. Ao final do tempo estabelecido, proceda à contagem dos pontos obtidos por eles. Você poderá também classificar os pontos dos cartões de acordo com o grau de dificuldade de sua localização. Poderá, também, aplicar prendas ao último colocado.


21_Stop:

Excursão: escolar, religiosa e turística;

Materiais: papéis com categorias, canetas/lápis;

Público-alvo: livre;

Objetivo: promover aprendizagem e resgate pedagógico;


O/a recreador/a deverá ter quantidade suficiente de folhas tabeladas para os/as integrantes jogarem. O jogo consiste em preencher as categorias com base na letra de comando do/a recreador/a, portanto em cada jogada, será sorteado uma letra e, logo depois, iniciado o cronograma, sendo necessário o/a jogador/a preencher com palavras que iniciem somente com aquela letra e que esteja contido nas categorias demarcadas (Ex.: Nome Próprio, Animal, Cidade, Fruta, entre outros). Vence aquele/a que, preenchendo as categorias corretamente, levante a mão e fale “Stop” primeiro.



REFERÊNCIAS


ARAÚJO, M.; SILVA, M. C.; ISAYAMA, H. F. O lazer nos cursos de graduação em turismo de Belo Horizonte: visão dos coordenadores de curso. Caderno Virtual de Turismo, v. 8, n. 3, 2008. Acesso em: 25 set. 2022.


CARVALHO, Ártemis Barreto de. Teorias, técnicas e tecnologias para formação e atuação profissional do guia de turismo. Aracaju: IFS, 2016.


GOMES, Pedro Henrique Araújo. Percepção dos outros consumidores em serviços de excursões turísticas. Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, 2020.


MIRANDA, Simão de. 101 atividades recreativas para grupos em viagens de turismo. Campinas: Papirus, 2014.


ATENÇÃO: Se você deseja colaborar com esse post ajudando outros recreadores. Escreva nos comentários outra atividade que atualizo o post dando crédito para você.

O Professor Doutorando em Educação Física e Mestre em Ensino Cleber Junior é Mentor de Empresas de Recreação e Recreadores com mais de 1.6 milhões de visualizações em seus vídeos no Youtube. Criador da 1ª formação online para o Recreador de Sucesso no Brasil e do curso online o Recreador do Futuro. Prêmio Melhor Produção de Conteúdo e Influência Digital. Cristão. 🚀 Te ensino o que ninguém te ensina sobre Recreação.


1.201 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page